sábado, 14 de março de 2009

Atire a primeira pedra


Nelson Rodrigues só escrevia putaria? Em meados da proximidade do fim do ano passado, me peguei pensando nisso, depois de um balanço superficial da cena teatral baiana. Baseadas na sua obra e essência eram quatro em cartaz (aqui e aqui- esqueçamos que uma terceira existiu, por caridade. Tratarei da quarta aqui), num período próximo de tempo, cada uma com uma abordagem estética e dramática diferente, mas que remetiam ao mesmo universo- o da perversão sexual.
Conversando sobre o assunto com uma professora, ela me falou sobre a fama que cada um faz, a repercussão de determinadas obras e a fortuna crítica que vem como conseqüência disso. Nelson Rodrigues possui uma obra vastíssima, inclusive como cronista esportivo. Mas o que faz sucesso mesmo é o seu foco na dramaturgia e na obscuridade das relações humanas, que deixa a impressão de putão pervertido.
Atire a primeira pedra (que acabei não conseguindo ver na sua primeira exibição) volta em cartaz, aproveitando-se dessa famigerada aura do autor para contar várias histórias.
Baseada em A vida como ela é (que o Fantástico exibia quando a gente era pequeno e não podia ver porque só tinha...putaria), a montagem se divide em curtos capítulos independentes, entremeados por musicais que fazem uma auto-análise da história narrada, e quase sempre apelando para o pastelão, o que, pelo menos para mim, é o grande diferencial.
Dessa maneira, aparecem os casos clássicos da mulher adúltera, do cunhado pedófilo, do complexo de Édipo, e muitos outros centrados na mesquinhez humana.
Espirituoso. O destaque do espetáculo não está só na transposição das convencionais tragédias para a comédia que tanto agrada a platéia. Até mesmo porque o bom humor inicial vai se esvaindo a cada história, dando lugar à ironia e ao escárnio, num processo de amadurecimento até o seu término. As risadas ainda permanecem em grande quantidade, mas em vez de graça, o absurdo é que se faz risível.
Um enorme, responsável e afinado elenco dá conta dessa artimanha simples e bem estudada. É inteligente, é interessante. Ta recomendado.