terça-feira, 8 de julho de 2008

Hors de prix


É reconfortante ver um bom retorno às origens. É bom ver Audrey Tautou afirmar a sua ligação com o cinema francês depois da sua aventurinha americana com Tom Hanks escovadinho em O Código daVinci. É tranqüilizante uma coisa dessa.
Ainda que seja numa produção levinha e despretensiosa, é boa a sensação de ver alguém não se perder na indústria do entretenimento por puro dinheiro. E por mais descompromissada que seja, o passatempo é garantido.
Abordando o curioso e deveras explorado universo dos trambiqueiros e golpistas, o filme narra a história de um garçom (Gad Elmaleh, feinho) que engana uma mulher interesseira (Audrey miudinha, magrelinha, fazendo a gostosona- mas com muito potencial) ao ser confundido por ela com um homem bem sucedido em férias no hotel.
Bombasticamente assustador pelo clichê inicial do enredo, é alegrante ver a história se desenrolar vertiginosamente, fugindo dos lugares-comuns das comédias românticas-de-capa-cor-de-rosa: logo a verdade entre eles é descoberta, passam por situações sofríveis e logo formam uma cooperativa de apoio mútuo.
A simplicidade do filme impede uma divagação muito grande ao seu respeito, voltando ao velho “se contar, estraga”. A dupla possui uma sintonia interessante e os momentos de riso- sua proposta principal- são constantes. Horroroso mesmo é o título nacional, incrivelmente cafona ("Amar... não tem preço"). Mas meter o pau nisso é uma prática famigerada que não adianta nada. Só alimenta a raiva.
Bom mesmo é ver a simplicidade arrebatadora de Tautou que desde 2001 carrega o glorioso estigma de Amelie Poulain (impossível dissociar o nome à obra), adquirindo um batalhão de admiradores do seu competente trabalho. Juntando o útil ao agradável, Hors de Prix dá uma super conta do recado.

5 Comentários:

Anonymous ediney disse...

há retornos que são bons, esses é um deles

10 de julho de 2008 15:44  
Anonymous ediney disse...

há retornos que são bons, esses é um deles

10 de julho de 2008 15:44  
Blogger .F Marques disse...

fiquei com vontade de ver

11 de julho de 2008 22:35  
Blogger jeiko disse...

Esse filme é uma bosta, filho.

29 de agosto de 2008 02:46  
Blogger A.Pedro disse...

ahahahahahhahah
nãããão. não é:)

30 de agosto de 2008 10:36  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial